Lá, Onde o Vento Chora: Uma obra dolorosamente bela

Na manhã de 30 de outubro, de 1969, o corpo de Chase Andrews foi encontrado nas imediações do pântano, cenário central do romance de estreia de Delia Owens, autora norte-americana. Mas, já iremos escrutinar algumas curiosidades sobre a biografia da escritora, por agora voltemos à sua obra e à pequena cidade costeira de Barkley Cove, situada na Carolina do Norte, nos Estados Unidos da América (E.U.A).

Com a introdução de um misterioso homicídio no prólogo do livro, a autora deixa antever mais de 300 páginas de puro mistério e tensão, coloridas pelo detalhe poético da fauna e flora do pântano. O crime que abalou a cidade norte-americana serve de pretexto para uma narrativa que flutua entre o presente e o passado. À medida que o Xerife Ed Jackson inicia as investigações, a escritora introduz a pequena Kya Clark ao leitor.

Kya é a protagonista de uma história marcada por sofrimento e intensa solidão. Nascida no seio de uma família pobre e completamente disfuncional, afetada pelos surtos de violência doméstica e do alcoolismo do pai, aos poucos todos aqueles que lhe deviam amor e proteção abandonam-na. Com apenas seis anos, Kya viu a sua mãe partir para nunca mais voltar – uma mulher em fuga à tirania de um casamento digno de um filme de terror; pouco depois, e um a um, os seus irmãos e irmãs também partiram; apenas ficou, por algum tempo, o seu conturbado pai.

mathieu-cheze-qfsKYUgW6ZY-unsplash
Photo by Mathieu Cheze on Unsplash

Pântano: Figura materna e de sapiência

Sozinha e sem meios para se sustentar, Kya aprendeu a sobreviver com os recursos naturais do pântano: peixe e mexilhões, entre outros produtos; basicamente, tudo o que fosse comestível colhia e vendia a Saltos – um adulto de tez negra e já com alguma idade, que se tornou fulcral na vida da “Miúda do Pântano”, como viria a ficar conhecida Kya nos arredores de Barkley Cove.

Sem acesso à formação académica tradicional, Kya ficou a conhecer como ninguém os segredos e maravilhas da vida selvagem do pântano. De facto, mais tarde, para além de fonte de subsistência e de conhecimento, o pântano viria a tornar-se na luz ao fundo do túnel no futuro de Kya, que já em mulher dedicaria vários livros de biologia a este espaço renegado pelos locais, mas celebrado pelos biólogos.

Uma história de (des)amores, superação e preconceito

À medida que vamos conhecendo Kya é impossível não sentir comiseração pela personagem. Curiosamente, ou não, ela encontra afeto e proteção num casal – também alvo de preconceito por parte da população de Barkley Cove, afinal note-se que na década de 60 a discriminação com base na cor era ainda uma triste e dura realidade nos E.U.A. Saltos, anteriormente mencionado, e Mabel tornam-se numa espécie de dois ‘anjos da guarda’ ao longo da vida de Kya. Para além do casal, outros dois nomes surgem no enredo de Kya: Tate, o primeiro amor e Chase Andrews, o jovem desportista, por quem sente mais tarde atração.

Entre amores e desamores, aproximações e desilusões, Kya vai aprendendo a desconfiar até da ideia do amor romântico, acreditando que o pântano é a sua única e mais pura salvação. Saltando entre as décadas de 1950 até 1970, à medida que a trama cresce, a jovem Kya está cada vez mais ‘metida’ no meio de uma confusão: o Xerife local acredita que ela seja a autora do crime da morte de Chase Andrews. Por isso, entre flashbacks contínuos, mas elegante e cuidadosamente fluídos, assistimos ao crescimento de Kya, mas também das suspeitas da polícia, até que nos capítulos finais a “Miúda do Pântano” tem que enfrentar a Justiça.

O que será que acontece a Kya? Será que o júri da cidade, que sempre foi preconceituoso, a vai considerar culpada? Será que foi Kya quem matou mesmo Chase Andrews? As respostas as estas questões só podem ser dadas através da leitura de «Lá, Onde o Vento Chora», um bestseller do New York Times e facilmente um futuro clássico da literatura.

CLASSIFICAÇÃO FINAL

8/10.

250x

FICHA TÉCNICA DO LIVRO

Título: «Lá, Onde o Vento Chora».

Autora: Delia Owens.

Edição: Porto Editora.

SOBRE A AUTORA

Com 70 anos, Delia Owens já tinha publicado anteriormente três livros de não ficção, baseados na sua experiência como cientista da vida selvagem de África. Zoóloga formada pela Universidade da Geórgia e doutorada pela Universidade da Califórnia, a obra «Lá, Onde o Vento Chora» é o seu romance de estreia. Rapidamente, o livro tornou-se num bestseller nos E.U.A. e já foi traduzido para vários idiomas. Para além disso, está já em andamento a realização de uma versão cinematográfica da obra.

 

Entrarei em contacto, assim que possível.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.