Identidade visual do Crónicas de Utopia: O reflexo de um designer irreverente

O Crónicas de Utopia é um blogue que combina dois lados distintos: o rigor e objetividade do jornalismo nos textos mais factuais; e o espírito livre e inconformado que surge nos textos de veia mais criativa. Sendo um projeto pessoal dedicado a várias frentes, tais como História, Viagens e Poesia, não é fácil captar num … Continue reading Identidade visual do Crónicas de Utopia: O reflexo de um designer irreverente

Montenegro, um destino de contrastes

Das montanhas exuberantes e encantos naturais protegidos, das pequenas vilas e cidades que testemunham relatos doutros tempos, da estreita e bela linha de costa aos lagos apaixonantes, assim é um dos mais jovens países do mundo. Montenegro é um destino de contrastes e repleto de surpresas, uma pérola junto ao Mar Adriático. Situado nos Balcãs, … Continue reading Montenegro, um destino de contrastes

Metamorfose

Metamorfose conspícua de uma larva Encarcerada num casulo de redenção Desponta como uma borboleta Bate as asas e voa livremente Sob os olhares de admiração Ignora-se o seu passado ignóbil Despojado de quaisquer pasmos Submergido em antros de escuridão Larva que deixou de o ser Borboleta alvo de colecionadores virou Metamorfose audaz no exterior Ironia … Continue reading Metamorfose

II

Multiplicam-se as receitas dos remédios e bebidas para curar maleitas. Em porções desproporcionadas da realidade servem-me as soluções líquidas para as minhas dores. Perdoem-me os crentes, mas desconfio da veracidade de esoterismos. Desculpem-me os filósofos, mas as vossas teorias não são as minhas. Que não me batam os psicólogos e psiquiatras, mas os vossos comprimidos … Continue reading II

Prelúdio de nada (Parte II)

O tempo passa velozmente. Cedo nasce o sol e depressa se levanta a lua. Sucedem-se os dias, meses e anos. Sucedem-se as estações. Uma sucessão de sucessões sem fim, mas nem damos pelo tempo passar. Observamos as divagações nas cores das pinturas que moldam as paisagens. Mostramos mais, ou menos pele, consoante os graus que … Continue reading Prelúdio de nada (Parte II)