A Santa Uxía de Ribeira

sou uma alma sem casa, daquelas que gosta de vaguear. sou uma alma sem casa, com predileção pelo mar. procuro águas serenas, desprovidas de profundidades mas, repletas de possibilidades procuro um mar, um mar sem fim, de ondas baixas e que me faça… que me faça sonhar.

Desnorteios do tempo

Desnorteios perdidos nos tempos Calvários lacrimejados de tensão Desvios e tristes contratempos Negrume e presságio de solidão Tormenta lançada ferozmente ao rio Afogamo-nos em entorpecimentos Aura desconecta d’Eu sombrio Sepultura coberta em mil lamentos Tentamos e falhamos sucessivamente Num complexo universo traiçoeiro Sombras de um mundo alcoviteiro Cemitério poeirento e abandonado Desnorteios de perpetuidade Cova … Continue reading Desnorteios do tempo

A culpada inércia

Não é somente a inércia a culpada de tudo Recorremos à falta de tempo como desculpa Uma meia-verdade tingida pelas cores da mentira Repetimos espiritualmente para interiorizarmos A falácia gerada monótona e desesperadamente Queremos adiar e disfarçar o mea culpa É muito mais fácil deixar a locomotiva passar Queixamo-nos da falta de movimento Choramos compulsivamente … Continue reading A culpada inércia