Diário de um alter-ego insano

21 de Abril de 2018 Hoje acordei, após uma noite mal dormida e repleto de tremores, sem vontade de sair da cama. Estou todo suado, por certo estou a ficar doente. Creio que já passou da hora de ir para o trabalho. Mas que diabos, porque não tocou o despertador? Ou esqueci-me de o ativar? … Continue reading Diário de um alter-ego insano

Humanos que preferem ser animais

Os dois acordaram lado a lado, tinham passado a noite enrolados como um casal de apaixonados, contrariando os seus anseios de animais. Não se recordavam muito bem do sítio onde se tinham conhecido, mas preferiam ter ficado aquém daquelas quatro paredes. Tudo parecia correr de feição. Estavam conectados pelo desapreço às trivialidades humanas. Mas algo … Continue reading Humanos que preferem ser animais

Um poeta obscuro é um poeta verdadeiro

Fechado no seu quarto, enclausurado como uma concha, o poeta está sozinho. Cansado de ouvir o telemóvel tocar. Desconectou-se das novas tecnologias. Deixou de ver os amigos e familiares. Movido por um ímpeto de profunda saturação, despediu-se do trabalho que mantinha por ‘fachada’; daqueles que servem apenas para pagar as contas ao final do mês. … Continue reading Um poeta obscuro é um poeta verdadeiro

Vagões do purgatório

nos vagões imundos partiram acorrentados a um destino execrável pesadelo transformado em vida real sem alento pela Humanidade ou resquícios de dignidade amontoados entre excrementos e mortos sobre-lotaram os veículos ferroviários, que conduziram nas linhas do terror milhares de almas ao seu purgatório, última estada antes do final deploratório humanos transformados em animais despojados de … Continue reading Vagões do purgatório

Ritmos do enigma d’além

Que idioma indecifrável fonética e magneticamente toma de assalto a minha audição são palavras que desconheço, mas com uma magia intangível Que cantos delirantes chegam da terra-mãe do deserto ultrapassam quaisquer barreiras não existem constrangimentos, renuncio o sentido de fronteiras Arábia de tempos ancestrais os teus ritmos dançantes transparecem a alma de um povo que … Continue reading Ritmos do enigma d’além

O erguer dos Estados

Fronteiras traçadas com sangue Cercos, muros e barreiras, Arame farpado. Feridas profundas. Gritos inauditos que ecoam... Perdidos na tradução do indizível Faltam verbos, sinónimos e adjetivos Almas corrompidas pelo silêncio Vísceras rasgadas por réstias de luz Embarcados no submundo de Hades Ensaiam a cegueira da paralisação Não se mexem. Não observam. Não escutam. Os estados … Continue reading O erguer dos Estados