Flâneur: Degustar a liberdade entre livros e cafés

É cliché contudo, não deixa de ser verdade, o Porto está na moda. As ruas enchem-se de turistas, espaços gourmet e atividades de lazer. No entanto, dentre este reboliço mediático, é necessário saber preservar a memória, identidade e essência da cidade. Fonte de inspiração para poetas, autores e artistas de várias artes, a invicta continua … Continue reading Flâneur: Degustar a liberdade entre livros e cafés

Falhaste-me

Falhaste-me nas tuas promessas Falhaste-me nos teus rodeios Falhaste-me nas tuas pressas Falhaste-me nos teus bloqueios Prometeste-me o céu e a terra Prometeste-me os deuses antigos Prometeste-me o Cabo de Finisterra Prometes-me até zero castigos Devo continuar a acreditar? De que vale?! Vou parar de cambalear? Prometeste-me nada e falhaste-me em tudo Na minha mente … Continue reading Falhaste-me

Quem me dera ser Alberto

Dou por mim a ler Caeiro, Imersa na simplicidade dos seus versos, Na pureza do teor das suas mensagens, Sem complicações e quaisquer rodeios, O poeta assevera que está livre de floreios Ó “Guardador de Rebanhos”, quem me dera… Quem me dera ser um pouco mais como tu, Não perder-me em ávidos e tenebrosos pensamentos, … Continue reading Quem me dera ser Alberto