Prelúdio de nada (Parte II)

O tempo passa velozmente. Cedo nasce o sol e depressa se levanta a lua. Sucedem-se os dias, meses e anos. Sucedem-se as estações. Uma sucessão de sucessões sem fim, mas nem damos pelo tempo passar. Observamos as divagações nas cores das pinturas que moldam as paisagens. Mostramos mais, ou menos pele, consoante os graus que … Continue reading Prelúdio de nada (Parte II)

Falhaste-me

Falhaste-me nas tuas promessas Falhaste-me nos teus rodeios Falhaste-me nas tuas pressas Falhaste-me nos teus bloqueios Prometeste-me o céu e a terra Prometeste-me os deuses antigos Prometeste-me o Cabo de Finisterra Prometes-me até zero castigos Devo continuar a acreditar? De que vale?! Vou parar de cambalear? Prometeste-me nada e falhaste-me em tudo Na minha mente … Continue reading Falhaste-me